Todo um novo paradigma

20:18


Em mestrado, caso haja pelo menos um aluno inscrito em erasmus as aulas são dadas em inglês. Confesso que não estava preparada para começar as 8h da manhã a ouvir falar inglês, bem às vezes até nem português. Uma pessoa estranha mas depois entranha. Muda-se o paradigma e desliga-se o interruptor que percebe português e no final da aula liga-se de novo. O esforço é maior mas não note que esteja a perder nada das aulas. No inicio, em algumas cadeiras assustei-me, felizmente bem poucas, cheguei lá e aquilo era meio chinês mas ao final dum tempo comecei a perceber que afinal não era culpa minha, eram as manhas dos professores.

Quando alguém que morou 4 anos nos Estados Unidos começa a dizer knowledge mencionando o k, móney, manágement e bicosi  uma pessoa fica meia "aparvalhada". Foi o que mais me surpreendeu. Eu esperava boa pronúncia e uma fluência razoável e encontrei uma pronúncia terrível mas bastante fluência nos discursos. Só de imaginar aquela gente nos seus projectos europeus a falar do seu knowledge deve ser engraçado.

Mas acima de tudo, eu estou a gostar! Estou a começar a dar uso ao meu inglês, a aprender mais e espero no final do semestre já estar mais do que dentro das manhas dos professores. 

You Might Also Like

4 comentários

  1. O meu primeiro ano da faculdade foi todo em inglês e adorei. Tive pena de o curso não ter sido todo em inglês. Depois havia um mestrado completamente leccionado em inglês mas não foi o que eu escolhi.

    ResponderEliminar
  2. Eu estou no terceiro ano da licenciatura e já tive 3 aulas dadas em inglês e acho mesmo que isto é uma mais-valia para nós!

    ResponderEliminar